A utilização do marketplace como um canal de mídia

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

É notório nos dias de hoje que a publicidade online tem conquistado cada vez mais adeptos, e a tendência é só aumentar. De acordo com um estudo feito pela US Media Consulting, só na América Latina os internautas ultrapassaram 230 milhões no ano passado, o que prova que o potencial da internet já não pode ser esquecido ou deixado de lado pelos anunciantes e deve estar integrado às suas campanhas de divulgação.

Nesse cenário, podemos ainda dizer que a internet é o setor em que a publicidade mais cresce; superando em duas vezes o crescimento de qualquer outro segmento, como televisão e mídia impressa. Em números, só no Brasil os investimentos em publicidade online subiram 32% em 2012, com previsão de ultrapassar R$ 6 bilhões em 2013, de acordo com dados do Interactive Advertising Bureau (IAB).

Ou seja, podemos notar que os consumidores, passam cada vez mais tempo conectados e estão atentos às marcas presentes no universo online. Isso gera melhoria nos serviços oferecidos na rede. Ninguém quer estar fora dessa parcela de mercado. Por isso, uma das estratégias que está sendo adotada tanto por grandes como por pequenos varejistas é a de anunciar dentro dos marketplaces. Hoje, eles são quatro dos 10 maiores e mais visitados sites do mundo. Esses agregadores de ofertas de produtos, serviços e conteúdos contam com um modelo de negócios diferenciado, afinal ele traz tráfego para o vendedor e uma gama de produtos diferenciados para os compradores. Fica claro que essas plataformas são uma tendência em ascensão.

E por que o marketplace é tão eficaz e atrativo? Obviamente, a primeira grande vantagem a ser levada em consideração é a audiência. É possível segmentar os anúncios de acordo com a categoria desejada, direcionando para o público interessado em seu produto ou serviço. Em seguida, ao analisarmos o baixo custo de produção e veiculação desses anúncios quando comparamos com as mídias tradicionais, o retorno do investimento (ROI, da sigla em inglês) é muito mais expressivo.

O MercadoLivre, por exemplo, é o 1º e-commerce em audiência no Brasil, ou seja, representa a maior demanda online no país. No ranking mundial, a plataforma está em 10º lugar, isto significa 86 milhões de usuários registrados. Com uma plataforma baseada em tecnologia e em geração de demanda, nela se concentra basicamente uma audiência ávida por consumo, e por isso é possível garantir um fluxo qualificado de usuários, que estão ali com a intenção de comprar, ou de pesquisar produtos. E para otimizar esses diferenciais na área de publicidade, o MercadoLivre conta com uma área exclusiva para esse tipo de negócio: o MercadoLivre Advertising.

Para quem decide investir em publicidade online, a garantia é atingir um público-alvo economicamente ativo, com a informação que ele deseja receber, no momento em que ele procura. Geralmente, o que se vê são consumidores que trafegam à procura dos melhores preços, marcas, produtos desejados, e que gostam de trocar informações, questionar o fabricante ou o vendedor, tornando o marketplace um fórum participativo. Desta forma, a compra pode ser considerada mais consciente e o marketplace é o canal online que melhor oferece esse suporte.

Em 2013, prevê-se que as vendas de e-commerce na América Latina cheguem a R$ 140 milhões. Já no Brasil, o eMarketer estima que dois em cada cinco usuários de internet farão compras pela internet até 2016. Portanto, saber se comunicar de forma correta e de maneira específica nessa verdadeira mídia de massa é o desafio.

Artigo encaminhado por Helisson Lemos, Diretor Geral do MercadoLivre.

Fonte: Adnews

Deixe uma resposta