Como lidar com pessoas difíceis?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Autor: Yasushi Arita

Você conhece alguém que parece ter sempre a intenção de barrar processos? A maioria das pessoas conhece alguém que parece tornar cada situação insuportável e impossível. Seja no trabalho, na família, no curso de graduação, pós ou mestrado, no clube e até na roda de amigos encontramos tipos de comportamentos bem diferentes – e isso é muito bom, porque o diferente nos ajuda a crescer – mas quando nos deparamos com aquelas pessoas difíceis de lidar é prudente entrar em alerta.

O sucesso nas organizações é criado por líderes que adotam a simplicidade, o reconhecimento, a inclusão, a gentileza e, principalmente, a assertividade para formar equipes integradas e comprometidas. Porém, no dia a dia encontramos pessoas com perfis bem difíceis de lidar e nessa circunstância é preciso ter habilidade para manter um relacionamento amistoso e produtivo na organização. Ficar atento ao reconhecimento e o respeito às diferenças são primordiais na obtenção de resultados. Mas, o que fazer para lidar com aquele colega de trabalho inconveniente, que não mede palavras, espaço e tempo para fazer comentários inapropriados? E como tratar aquele que reclama de tudo, de todos e nunca encontra um aspecto positivo para tecer um elogio? Para complicar um pouco mais, o que dizer para profissionais subordinados a chefes omissos, mal humorados, centralizadores ou instáveis e, além de suas habilidades específicas, precisam ser habilidosos no trato com os melindres de comportamento?

Características de funcionários difíceis de lidar:

O Sabe tudo – aquele que não se submete às ordens de seus superiores, muito menos à opinião dos seus colegas de equipe porque acredita que seus conhecimentos estão acima da competência de qualquer outro profissional.

O "Reclamão" – vive reclamando de tudo e todos. Nada, em momento algum, está bom o suficiente para ele. As condições de trabalho nunca estão boas, o salário não é suficiente, o excesso ou a falta de trabalho sempre são alvos de reclamações.

O Grosso – expressões de gentileza estão bem distantes do seu vocabulário. Quando se dirige a alguma pessoa a intenção é sempre lançar uma crítica negativa ou ressaltar a falta de habilidade de alguém em qualquer aspecto.

O Fofoqueiro – discrição ou segredo não existe para este funcionário, mas dificilmente fala de si mesmo. Em geral sabe detalhes da vida dos colegas e é ágil para espalhar comentários comprometedores. Ele é precursor da "rádio peão" nas empresas.

O Inconveniente – esse é o "sem noção", dotado de total inabilidade para evitar comentários maliciosos e inapropriados sobre a colega de trabalho, a assistente do chefe ou sobre um projeto sigiloso à frente de qualquer um.

Características de chefes difíceis de lidar:

O Mal humorado – sua presença congela os ânimos dos colaboradores. Cada expressão do seu semblante é carregada de desaprovação, contrariedade e descaso. "Estou de mal com o mundo" parece ser a mensagem que tenta passar todo o tempo por meio das suas atitudes e palavras.

O Instável – a certeza absoluta hoje pode ser a grande dúvida do chefe instável amanhã. O planejamento desse tipo de chefe é direcionado pelo seu estado de humor e suas emoções. Desenvolver um plano de trabalho com começo, meio e fim é um verdadeiro desafio para profissionais liderados por um chefe com este temperamento.

O Amigo – por ter uma postura muito próxima, compreensiva e amistosa, esse tipo de chefe pode ter seu comportamento confundido com pouca autoridade e competência. Ele está sempre disposto a entender a dificuldade do outro, é um bom conselheiro e procura fazer com que a equipe esteja sempre integrada.

O Reservado – sua atitude é tão distante que dá a impressão de que ele não tem nada a ver com o que acontece na empresa. Seu comportamento pode ser confundido com timidez, displicência e até falta de interesse e isso influencia negativamente o entrosamento da equipe e nos resultados.

O Centralizador – tudo precisa passar pelo seu crivo: uma nova ideia, um contato com o cliente, desde as ações corriqueiras às mais complexas ele faz questão de acompanhar, palpitar e fazer o acompanhamento. Muitas vezes o seu comportamento impede o crescimento da equipe porque ele não aceita a autonomia dos seus colaboradores.

O Omisso – o departamento está pegando fogo. Os colaboradores não entram em um acordo, os clientes cobram um posicionamento e a conclusão de um projeto depende apenas de algumas direções do chefe, mas ele se mantém distante do burburinho como se não tivesse nada a ver com ele.

Seguem cinco dicas de como lidar com pessoas difíceis:

1. Trate a pessoa com respeito e atenção. Se a argumentação dela não condiz como que você pensa, coloque o seu ponto de vista de forma clara, objetiva e concentre-se no que é da sua responsabilidade.

2. Evite julgamento. A sua opinião sobre o que é certo ou errado na conduta de uma pessoa difícil de lidar pode atrapalhar mais que ajudar, então não dê palpites onde não é chamado.

3. Em situações de conflito com uma pessoa de temperamento difícil, controle o impulso e procure dissociar a pessoa das atitudes, das circunstâncias ou do objeto de impasse. Ao olhar a situação e não a pessoa, você consegue arejar as ideias e pensar com mais clareza.

4. Desvie-se do alvo de uma pessoa difícil. Manter um relacionamento educado e cortês é uma decisão e, por isso, sem indelicadezas ou impulsos emocionais. Seja diplomático.

5. Com sinceridade, evidencie as qualidades e não os defeitos da pessoa difícil. Você pode manter diversos níveis de relacionamentos em uma empresa, sem ter que fazer partidarismos. Se o seu colega de equipe é um pessoa difícil, valorize o que você enxerga de melhor nele. Todo ser humano precisa de carícias e reconhecimentos e a personalidade difícil do outro, pode ser na verdade, uma atitude de defesa.

Yasushi Arita é presidente da Arita Treinamentos.

Fonte: ClienteSA

Deixe uma resposta