Feiras de negócios em SP movimentam 2 bilhões por ano

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Um mercado de 200 mil empregos diretos, que movimenta a economia paulistana em R$ 2 bilhões por ano. O circuito de feiras de São Paulo, o mais importante da América Latina, é o principal segmento de um turismo específico, o de negócios, que atrai interessados em conhecer ou mostrar mais sobre as áreas em que atuam. Os 273 eventos oficiais são visitados por mais de 4 milhões de pessoas por ano, segundo a União Brasileira de Feiras (Ubrafe).

É o cenário ideal para apresentar produtos e empresas, principalmente para quem deseja ganhar mercado e aparecer mais, como os micro e pequenos empresários. “Mas para participar de uma feira e ser algo proveitoso tem que se planejar um ano antes”, diz Armando Arruda Pereira de Campos Mello, presidente da Ubrafe.

O futuro expositor deve visitar no ano anterior as feiras da área que o interessam. Definida qual é a mais adequada a seu perfil, ele precisa especificar qual seu objetivo: conhecer o clima do evento? Liquidar estoque? Lançar produto? Ou tudo isso ao mesmo tempo? “Não se trata de ficar sentado em um estande. A marca será vista por milhares de pessoas”, diz Mello.

Uma equipe bem treinada para interagir com clientes, cartões sociais e folhetos suficientes para serem distribuídos, brindes e lista de preços são itens básicos para uma exposição. Quem expõe precisa informar o que vende, por quanto, em qual quantidade, quando entrega e se dá desconto. Depois, há o trabalho pós-feira: ir atrás de gente que visitou o estande para transformar em cliente.

As feiras de negócios são democráticas, com espaços para empresas pequenas, médias e grandes. O aluguel do metro quadrado para a montagem do estande depende do evento, mas em média varia de R$ 400 a R$ 600. Para quem oferece serviços, como transporte, música, entretenimento, alimentação, entre outros, pode entrar nos sites das feiras para checar quem são os expositores. É direto com eles que esses trabalhos são contratados.

Mesmo que a intenção não seja expor, os empresários podem aproveitar esses eventos para aprenderem sobre suas áreas de atuação. Há palestras, debates e rodadas de negócios que servem para a aquisição de conhecimento. “É importante ter contato com outras histórias e novidades do próprio mercado para a criação de projetos e de metas”, diz Fabio Gerlach, consultor de inovação do Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

A instituição organiza, a cada dois anos, a Feira do Empreendedor. É uma oportunidade de adquirir conhecimento sobre como empreender, além de ter espaço para as micro e pequenas empresas que desejarem participar também como expositores. Na edição de 2010, mais de 30 mil pessoas visitaram o evento. A que está marcada para outubro espera 50 mil visitantes.

Fonte: Promoview

Deixe uma resposta