Jurados de Promo detalham critérios de P&A

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

As conclusões e opiniões desta 60ª edição de Cannes Lions, sétima de Promo & Activation, vão repercutir por muito tempo. E um dos objetivos do júri da categoria era, claramente, que isso acontecesse, conforme descreveu Mario D’Andrea.

Mas, melhor do que nós contando as observações dos jurados, certamente é assistir, direto da fonte, por D’Andrea e Moa, como correu a seleção dos melhores do mundo deste ano.
No ano passado e no anterior, os cases ROM e Small Business Saturday, levantaram imediatamente a motivação dos jornalistas. Mas, este ano, a reação foi um pouco diferente.

Alguns pontos altos da coletiva não foram sequer observados pelos demais representantes da imprensa presentes. Por exemplo, o presidente do júri, Rob Schwartz, descreveu o GP como “timely and timeless”, após a primeira pergunta desconfiada da plateia, que foi: “Mas um case de “charity”, ou “humitário” poderia ganhar GP”?
A resposta de Rob foi que não se trata apenas de um case para o bem social, e sim de um trabalho para um time de futebol, que decidiu sintonizar necessidades e interesses, e conseguiu alcançar o target (torcedores com potencial de se tornarem novos doadores) de forma imediata, ou seja, oportuna, na hora certa (timely) e atemporal (timeless).

A imprensa, ainda assim, não se sentia convencida. Foi quando decidimos fazer uma pergunta para os jurados brasileiros. E, ao responder, a primeira coisa que o Moa pediu foi uma salva de palmas para o case, que sem dúvidas mereceu ganhar. Finalmente, os presentes corresponderam e aplaudiram, como mostra o início do vídeo.

A reação dos jornalistas mostrou que não é apenas o Brasil que entende que o live marketing é a bola da vez e que está em franco crescimento. Mas, mostrou também, que o mundo ainda tem dúvidas e receios sobre a eficácia dos trabalhos e da categoria.

Para dar o empurrãozinho que faltava na tentativa de convencer a imprensa, saltou da mesa Lode Schaeffer, da Holanda, e falou: “P&A é uma categoria muito séria. É fundamental que as pessoas lá fora entendam isso e tragam mais trabalhos para Cannes.”

A resposta para que P&A ganhe o respeito de outras disciplinas nessa arena da criativade, talvez esteja nos próximos dois, três anos. E nisso, Cannes também poderá ajudar. Por exemplo: o case Small Business Saturday, GP do ano passado de P&A, ganhou hoje o Leão de Eficácia Criativa, um ano depois.
Ou seja: um trabalho de P&A tão bem feito que os resultados perduram – e vão além. Se o case do Sport Clube Recife for mesmo “exportado” para outros países, como mencionou o Mario d’Andrea, é possível que tenhamos mais uma comprovação de eficácia criativa da categoria, porém, para o live marketing brasileiro. É uma questão de pouco tempo.

Fonte: Promoview

Deixe uma resposta