Marcas próprias crescem 21% no País, diz Nielsen

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Estudo identificou mais de 65 mil itens comercializados sob marcas próprias no varejo nacional

Estudo da Nielsen, que contou com a participação de 331 empresas de varejo, apontou que, nas categorias em que estão representadas, as marcas próprias respondem por 4,8% do valor faturado por esses comerciantes. O resultado, referente ao 1º semestre de 2010, representa um incremento de 21% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Dentre as categorias de maior destaque estão os panetones (38,6% do volume da categoria), derivados de tomate (32%), envoltórios de alimentos (30%), guardanapos de papel (27,7%) e pão de queijo (27,7%). Ao todo, a Nielsen identificou mais de 65 mil itens sendo comercializados sob marca própria no Brasil – aumento de 18% em relação a 2009.

"Um fato relevante é que, nos centros urbanos, 50% dos gastos com produtos de marca própria são feitos nos três principais grupos (Pão de Açúcar, Carrefour e Wal-Mart), que, representam cerca de 40% do faturamento entre os supermercados", ressalta Olegário Araújo, diretor de atendimento da Nielsen.

Presentes no País há décadas, as marcas próprias chanceladas por players do varejo ainda enfrentam resistência para entrarem nos lares dos consumidores. Embora em crescimento, a participação das marcas próprias é pequena no Brasil. Suíça e o Reino Unido, por exemplo, registram, respectivamente, 46% e 43% de share para as marcas próprias. Até hoje, um em cada três brasileiros nunca comprou produtos de marca própria.

Quarta geração

Posicionamentos premium, valores ligados a sustentabilidade e a variedade de produtos – esta a principal aposta de categorias em expansão, como medicamentos e materiais de construção – são as principais apostas dos varejistas para conquistar seus clientes.O Pão de Açúcar vem construindo, com Taeq e Qualitá, dois cases de sucesso no segmento, denominado no grupo como "marcas exclusivas" e com faturamento estimado em R$ 1,4 bilhão em 2010.

Apesar de ter sido lançada dois anos antes do que Qualitá – criada em 2008 e que em 2011 ganhará presença nas mídias digitais –, a Taeq foi concebida com um posicionamento mais avançado. A chamada "quarta geração" das marcas próprias agrega posicionamento premium, produtos exclusivos e embalagens diferenciadas e informativas. Em 2010, o Pão de Açúcar investiu R$ 10 milhões na comunicação, desenvolvimento de novos produtos e a abertura de lojas exclusivas da Taeq nos estabelecimentos do grupo, nos quais, em categorias como arroz integral e barrinhas light, a marca se tornou líder de vendas.

Taeq agrega ainda mais um valor que entra com cada vez mais força na agenda dos varejistas donos de marcas próprias: o da sustentabilidade. Pesquisa da Kantar Worldpanel para a Associação Brasileira de Marcas Próprias (Abmapro) indicou que, dentre os consumidores que têm o hábito de comprar marcas próprias, 70% se preocupam com o Meio Ambiente, 29% compram em embalagens já recicladas (contra 15% no geral) e 45% adquirem produtos biodegradáveis (contra 21% no geral).

Fonte: MM Online

Deixe uma resposta