Marketing Promocional – História e Evolução

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Até meados da década de 90, no Brasil, não se falava, não se conhecia ou não havia ainda a descoberta do poder, do alcance e da potencialização econômica do Marketing Promocional. A história desse conceito de Marketing, da segmentação de produtos e serviços para o marketing promocional, funde-se um pouco com a própria história política e industrial do país.

Quando o presidente eleito na década de 50, Juscelino Kubitschek, o JK, criou o seu mote de campanha “50 anos em 5”, criou-se uma fórmula de aceleração do crescimento industrial no país. Porém a cultura do Marketing, da Comunicação e da Propaganda ainda era um embrião, não se falava em campanhas de publicidade e de comunicação de uma maneira a estimular o consumo e promover a consciência sobre os produtos e serviços. Nessa época ainda se via apenas anúncios, alguns na televisão que acabara de chegar, outros em outdoors. Porém, a variedade de produtos e o conceito de serviços ainda eram escassos nesse período.

Mas a aceleração da economia foi intensa, passaram-se as décadas de 50, 60 e 70, o regime político se transformou, até que veio a década de 80. Considerada a “década de ouro” da publicidade e propaganda, os anos 80 deram a verdadeira noção ao mercado, às empresas de serviços e produto, da importância da publicidade e propaganda para atrair consumidores e aumentar as vendas, provocando um aumento de consumo e do interesse das pessoas estimulados pelas campanhas de publicidade.

Com essa aceleração e a abertura de mercados em todos os segmentos e com a entrada cada vez maior de produtos no mercado brasileiro, além do crescimento contínuo do setor de serviços, as estratégias de publicidade já não eram só pela propaganda. Os conceitos de Marketing começam a aparecer fortemente e os empresários começam a trazer de fora, principalmente dos EUA, novas estratégias, novas fórmulas e novas atratividades já que, agora, os consumidores não são mais manipulados ou passivos e já criam a consciência de diferenciar produtos, seja pela qualidade, pela marca, pelo preço, avaliando o custo-benefício de cada um e pensando já no que é melhor, no que é mais durável e no que pode lhe trazer mais vantagens. Vantagem: esse é o conceito chave do Marketing Promocional.

Assim, em meados da década de noventa as empresas começam a se atentar para agregar valores, segmentar mercados e criam fórmulas para atrair o consumidor oferecendo essas vantagens. Surgem então os conceitos de promoção, de marketing promocional, principalmente nas redes de varejo. No início as promoções iniciam simples, apenas com os famosos “leve 2 e pague 1” ou “compre o sabão e ganhe uma toalha”. Ações desse tipo tornam-se cada vez mais comum. Mas como todo mercado cresce, evolui e como toda estratégia se renova, o Marketing Promocional começa a ganhar espaço em diversos segmentos, e torna-se uma das principais ferramentas de conquista, atração, fidelização e comprometimento dos clientes com uma marca, produto, serviço ou, o consumo conjunto dos dois, com estratégias para que os clientes já possam comprar e consumir ao mesmo tempo. O maior exemplo disso são as redes de Fast Food ou de Conveniência, que criam facilidades e praticidades, levando clientes a consumir mais, em menor tempo.

O Marketing Promocional torna-se amplo, cheio de novidades e a cada dia cresce em conceitos, em novas fórmulas, agregando cada vez mais valor na corrida pela satisfação e conquista dos clientes. Grandes exemplos e cases podem ser citados, como programas de fidelização e de acúmulo de pontos ou bônus, onde o consumidor é atraído pela relação de que, se ele compra, ele terá o benefício da troca por algum outro produto ou serviço. Ou ainda, as parcerias criadas entre empresas de produtos e serviços, que criam estratégias de marketing que atraem os consumidores para um mercado cada vez mais amplo, como por exemplo, as bandeiras de cartões de crédito, que vinculam seus produtos à diversas outras empresas que geram benefícios para os clientes. Tudo em torno de obter vantagens.

A corrida do Marketing Promocional é intensa. Novas fórmulas são estudadas para que as pessoas escolham, procurem e negociem produtos e serviços que podem lhe trazer mais vantagens, lhe render mais benefícios e gerar o melhor custo benefício. E, dentro desse segmento, os brindes tornam-se grandes protagonistas de atratividade, fidelização e conquista dos clientes. Afinal, quem não gosta de receber um presente, um agrado, um carinho ou um reconhecimento de que, aquilo que é consumido, pode lhe trazer uma grande satisfação, estreitando o relacionamento entre empresas, clientes, produtos e serviços, com um toque especial que, simples ou sofisticado, pode trazer mais felicidade e relacionamento direto do consumidor com a sua marca preferida.

Por Erick Machado – Grupo Bríndice

Deixe uma resposta