Bradesco estreia no basquete em Mundial na Turquia

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Instituição, que fechou patrocínio com a seleção brasileira, pode manter sua marca no esporte até as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016

Com o pensamento nas próximas edições das Olimpíadas e com o intuito de dar continuidade ao resgate do prestígio do basquete brasileiro, a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) tem agora o Bradesco como copatrocinador das seleções masculina e feminina, em todas as categorias.

O acordo deve entrar em vigor a partir do Campeonato Mundial Masculino, na Turquia, que começa no dia 28 e vai até 12 de setembro. O contrato é anual e tem cláusula de renovação. Existe o plano de estender esse patrocínio até os Jogos de 2016, no Rio de Janeiro.

A marca da instituição financeira estará estampada nas costas e no calção do uniforme dos jogadores. Segundo informação dada por uma fonte da CBB, a ideia da parceria é colocar o Bradesco em um patamar proporcional a cota máster, mantendo os demais patrocínios. Porém, por enquanto, de acordo com o banco, o contrato é de copatrocínio, válido até 2011.

As bases do acordo foram divididas em partes, uma delas via Lei de Incentivo ao Esporte, que permite a empresas empenhar parte do valor de impostos para patrocínios ao esporte. O Bradesco ainda avalia a possibilidade de desenvolver uma série de ações promocionais para divulgar a novidade.

No início do ano, a CBB já havia mostrado interesse em buscar novos investidores, exatamente para ajudar a resgatar a imagem da seleção brasileira. Hoje, a confederação conta com o patrocínio da Eletrobrás, que ocupa a parte mais importante do uniforme da seleção – status que pode ser alterado com o acordo firmado com o Bradesco. Outro importante apoio é o da Nike, que é fornecedora de material esportivo e parceira da seleção desde o início deste ano.

Por parte da Nike, ações estão sendo feitas para alavancar internacionalmente a nova estrutura da seleção brasileira de basquete. A companhia promoveu, entre os dias 12 e 15 de agosto, em Nova York, um festival de culto ao basquete e ao movimento cultural em torno dele. O evento foi considerado como preparação para o mundial da Turquia e também como uma forma de exibir o "repaginado" time brasileiro, que trouxe de volta à seleção jogadores renomados da NBA como Nenê, Varejão, Leandrinho e Tiago Splitter.

Vôlei
O Bradesco, que tem ligação com vários esportes nacionais, também patrocinava clubes da Superliga Brasileira de Voleibol, principal competição entre clubes de vôlei no País. A parceria mais famosa foi com o Finasa-Osasco, que rendeu bons frutos para o Bradesco e para o clube.

No ano passado, por motivos não divulgados, o banco resolveu encerrar o patrocinio e atualmente não conta com nenhum clube do esporte. O Bradesco também nunca patrocinou a Confederação Brasileira de Voleibol.

Por Arthur Quezada

Fonte: M&M Online

Deixe uma resposta