Invista na embalagem. Ela aparece primeiro e, portanto, deve ser bastante atrativa

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Como diz um velho ditado, “a primeira impressão é a que fica”. Logo, em qualquer produto ou artigo promocional a primeira impressão é causada justamente pela embalagem, pois é ela quem aparece antes de qualquer conteúdo.

A embalagem ocupa um papel importante, uma vez que está em contato direto com nossos olhos. Seja desde um simples artigo oferecido num supermercado até o próprio produto promocional.

“Nos últimos anos, ela se tornou uma poderosa ferramenta de marketing e um componente fundamental para o sucesso dos produtos de consumo. No caso dos artigos promocionais e brindes, a função da embalagem está ligada principalmente à valorização do artigo que está sendo oferecido. Ela tem a função do ritual fazendo a entrega do presente”, afirma Fábio Mestriner, presidente da ABRE – Associação Brasileira de Embalagem.

Para Maria Christina Godinho, diretora de comunicação integrada da Contato Comunicação & Marketing, a embalagem precisa fazer parte da estratégia de comunicação desde o início da ação promocional, até o momento da escolha do brinde.

“A embalagem é tudo. Não adianta enviar um colar de diamantes num saquinho de pão. Se estamos desejando dizer que uma empresa é séria e tem credibilidade num determinado setor, temos que fazer com que toda a comunicação transmita essa imagem”, ressalta Maria Christina Godinho.

Por isso, a embalagem destinada aos artigos promocionais deve ser desenhada especificamente com este objetivo, ou seja, deve ser criada para elevar, valorizar e envolver o produto como se fosse algo precioso, um presente que representa a vontade de agradar de quem está oferecendo. Ela deve demonstrar o cuidado e a atenção que foram destinados ao produto.

“Uma das estratégias de utilização da embalagem como ferramenta de marketing consiste em transformá-la no próprio brinde. Como exemplo, podemos citar as latas decorativas, os copos de requeijão, os kits de cosméticos, cuja embalagem é uma necessaire e assim por diante”, destaca Fábio Mestriner.

De acordo com o presidente da ABRE, a embalagem surgiu e se desenvolveu inicialmente para atender as necessidades básicas de proteger, acondicionar e transportar o produto. Com o tempo, foi ganhando novas funções, como as de comunicar e vender, principalmente quando surgiram os supermercados e desapareceu a figura do vendedor. A partir daí, a embalagem passou a substituí-lo, interagindo diretamente com o consumidor.

“Hoje, ela é usada principalmente como ferramenta de marketing atuando na venda, na promoção e até como componente importante no processo de “branding”, em que todas as manifestações da empresa, inclusive a embalagem, devem trabalhar para a construção da marca”, explica Fábio Mestriner.

Os profissionais de marketing fizeram da embalagem uma ferramenta fundamental para conduzir os produtos de consumo ao sucesso num cenário competitivo cada vez mais complexo e congestionado, como o que vemos hoje em tempos de globalização.

Para o presidente da ABRE, os consumidores, que são a verdadeira razão de ser da embalagem, consideram-na algo muitíssimo importante em suas vidas, chegando ao ponto de não distinguí-las ou separá-las do produto. “Para eles, embalagem e produto são uma coisa só, constituem uma entidade indivisível. Um item que segundo eles, é cada vez mais relevante no processo de escolha dos produtos”, define.

Porém, Fábio Mestriner faz uma ressalva: “É preciso evitar o excesso na embalagem, para não oferecer ao consumidor mais do que o produto possa cumprir, gerando expectativas que não serão atingidas. Mas por outro lado, ela deve valorizar o produto, ressaltando seus principais atributos e apelando para o desejo do consumidor”, alerta.

Por Priscilla Merlino – Grupo Bríndice

Fontes:
Fábio Mestriner, Presidente da ABRE – Associação Brasileira de Embalagem – www.abre.org.br
Maria Christina Godinho – Diretora de comunicação integrada da Contato Comunicação & Marketing

Deixe uma resposta