O papel da liderança é maximzar pontos fortes

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A liderança consiste em maximizar nos liderados seus pontos fortes, e, em segundo plano, gerenciar suas fraquezas. Não somos melhores em tudo. Temos dons, predisposições naturais e, como líderes, precisamos saber disso em relação aos nossos colaboradores.

Nas empresas, o papel do líder é também fazer vir à tona o que o colaborador tem como ponto forte. Se você necessita de um vendedor, precisará de gente comunicativa, atenciosa, espontânea. A partir daí, precisa buscar pessoas com esses pontos fortes. Se você precisa de um auxiliar de escritório, terá de encontrar como ponto forte a rapidez, agilidade, capacidade de organização.

Todas as pessoas têm algo de melhor para entregar, mas, precisamos reforçar aquilo que elas mesmas reconhecem como pontos fortes e, como o coelho aparece na cartola do mágico, o “melhor” das pessoas também vai surgir… a melhor parte é que isso não é um truque.

Há muitos talentos não sendo aproveitados nas empresas. Os líderes não se preocupam em descobrir os pontos fortes das pessoas e tentam ensinar, por exemplo, quem ama vender, a trabalhar no setor de cobrança e quem adora ficar por detrás de uma mesa conferindo documentos, a vender.

É como o pai que é médico e força seu filho a cursar medicina, mesmo que o menino sonhe em ser fuzileiro naval. Quase sempre que forçamos as pessoas a seguirem determinadas carreiras, mesmo que elas não tenham qualquer vocação, ganhamos profissionais medíocres no mercado de trabalho. Neste caso, é provável que ganhássemos um médico mediano, e perdêssemos um brilhante fuzileiro.

Obviamente que algumas pessoas se dão bem na carreira que seus pais escolheram, ou naquelas que o dinheiro foi o único atrativo para segui-la. É possível que aprendamos a gostar, e a fazer benfeito um trabalho que no início não era o sonho da nossa vida.

Pergunte para a pessoa qual profissão ela seguiria se ganhasse na loteria? Fora aquelas que dizem que não trabalhariam mais um dia sequer na vida, todas as outras vão revelar o grande sonho da vida profissional.

O que você faria, profissionalmente, se ganhasse muita grana na loteria? Sugiro que, mesmo que não ganhe, de algum modo corra atrás do que respondeu, por mais difícil que seja, porque é isso que vai lhe fazer feliz e vencer todas as tempestades que tiver de enfrentar.

Nós, líderes, temos que criar esse espírito nas pessoas, de sonharem mais, desejarem mais, de correrem atrás daquilo que lhes faz brilhar os olhos, bater mais forte o coração.

Às vezes podemos até não conseguir ser, por exemplo, o engenheiro que sonhávamos, mas, teremos orgulho de ser o melhor mestre de obras que o mundo já viu. Quem sabe não tenhamos forças para libertar em nosso liderado o potencial para se tornar o médico que ele sonhava ser, no entanto, se ele se tornar contador, por exemplo, poderá se tornar médico de empresas, curando seus problemas financeiros, tributários e fiscais.

Procure detectar os pontos fortes das pessoas que trabalham com você. Sem dúvidas, elas terão de realizar tarefas que podem não ser o amor da sua vida, afinal, todos nós precisamos fazer alguma coisa que não temos lá aquele amor por fazer, mas, que no dá dignidade de manter o sustento e o da família, de poder olhar nos olhos dos filhos e dizer com orgulho que compramos um tênis novo, e que, neste ano, ele vai ganhar a mochila nova que não pudemos comprar no ano passado.

Quando você conhece bem seus liderados, sabe o que eles adorariam fazer. Se tiver a oportunidade de deixá-los fazer isso na empresa algumas vezes, permita que façam.

Digo isso porque muitos dos colaboradores que tive eram excelentes músicos. Porém, não seria possível tocar música dentro de um escritório de consultoria. Ou seria? Claro que sim!

Várias vezes convidei meus colaboradores para “agitar” o escritório em épocas festivas, como festas juninas, onde convidávamos os clientes para virem assisti-los. Os colaboradores adoravam, e os clientes também.

Se você tem um operador de empilhadeira, por exemplo, mas ele adora informática, tanto é que está fazendo cursos para garimpar um cargo melhor na empresa, você pode, depois do expediente, ou, quando o trabalho dele estiver calmo, levá-lo até o escritório e permitir que redija alguma coisa, que acesse a internet e procure alguma notícia que você diz que precisa. Vai ver os olhos dele brilharem, e, como agradecimento, ele será o melhor operador de empilhadeira enquanto estiver nessa função.

Fonte: administradores.com

Deixe uma resposta