Planejamento de um Negócio frente a nova Concorrência

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

O forte impacto da tecnologia, somado ao processo gradual de mudança, orientado para globalização das relações econômicas, é uma realidade que devemos enfrentar regionalmente. As empresas devem somar conhecimentos, melhorar sua cultura competitiva, orientar-se para o cliente e "pensar em termos de negócio", como estratégia básica de dominar o presente e, logo, pensar em objetivos maiores de como antecipar o futuro.
Gerenciar o presente desfrutando ao máximo a sua competência essencial, sua potencialidade de
mercado, tecnologia e processo produtivo, preparando-se assim para o futuro a partir de uma "visão empreendedora", valorizando os recursos e a competência, com o passar do tempo, introduzindo inovações necessárias, entrando em novos setores de atividade. Todas empresas se defrontam com o problema de uma dupla estratégia para a competição do presente, sem penalizar a competição no futuro e vice-versa. Operar dentro de qualquer negócio implica hoje em um desafio com muitas exigências e requerimentos distintos dos conhecidos até o presente: se as regras são novas e diferentes, então o jogo é diferente. Este processo de mudanças desde a ótica da comercialização de bens e/ou serviços não pode ser ignorado e tão pouco negado porque, em geral, estas posturas fazem demorar a tomada de decisões e, neste sentido, o fator tempo é uma das chaves a considerar para atuar no campo estratégico que implica, entre outras ações, detectar oportunidades e ameaças do setor em particular de cada unidade de negócios.
A nova competência implica considerar novos aspectos e condutas, tanto dos clientes como dos competidores, para definir um processo de marketing em que devem ser considerados, entre outros, os seguintes aspectos:
1- A clara individualização do cliente antes de qualquer ação comercial;
2- Utilização das tecnologias disponíveis no mercado para potencializar as relações com clientes atuais e novos clientes, seja através da Internet (site, e-mail) e do Telemarketing.
3- Novas tendências do mercados, assim como a mudança nos hábitos de consumo-compra;
4- Total ciência do que deve ser importante: aceitação do que o cliente valoriza como o ideal e não o que o você empresário ou comerciante crê ser o melhor;
5- Criar laços permanentes com os parceiros através de eventos diversos, quer sejam: palestras, seminários, jantares, reuniões, atraindo conseqüentemente novos clientes a médio e longo prazo e a conseqüente fidelização dos mesmos;
6- Observar seus concorrentes, levantando os pontos favoráveis e desfavoráveis, visando o fim último: a satisfação total do seus clientes.
Bons negócios !

Deixe uma resposta