Presenteísmo: o corpo está presente, mas a mente não.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Calma gente, presenteísmo não é o contrário de absenteísmo, nem o ato de dar presentes, o conceito é estar na presença física, mas a ausência mental. Quantas vezes você já se deparou com uma situação em um determinado dia onde você não sabe o motivo, mas o trabalho não rende, que suas preocupações são muito maiores que a atividade que você está fazendo, ou aquela reunião que você entra mudo e sai calado, pois esta só fisicamente, já está pensando em outros problemas ou outras soluções e que não tem nada a ver com o “seu corpo presente” naquele ambiente. Pois é, algumas causas dessa atitude pode ser resultado de stress, desmotivação, depressão, ansiedade e talvez por problemas familiares, não vou nem falar dos que passam o dia na internet ou mídias sociais, desfocando de suas atividades normais muito comum nos dias de hoje.

O conceito ao pé da letra de presenteísmo é: quando as pessoas vão para o trabalho, mas não contribuem inteiramente para a produtividade da organização naquele dia, porque, embora elas estejam lá de corpo presente, elas despendem uma enorme quantidade do tempo de trabalho abstraídas ou fazendo outras coisas que não o próprio trabalho.

Podemos identificar formas de trabalhar o presenteísmo:

Nas pessoas

É importante que se entenda quando passar por esse problema, é necessário ter a maturidade de identificar que se passa por essas situações e buscar minimizar os impactos. Uma das maneira de reduzir isso é realizar no início do dia fazendo um check list de ações a serem realizadas, e no final do dia verificar a sua produtividade e ver se atingiu seu objetivo.

Precisamos ter atitude e fazer a diferença na empresa, buscando sempre novos desafios e não se limitar a cumprir apenas tarefas rotineiras, pois quem fica sempre na zona de conforto não tem resultados diferentes. É necessário ir para zona de expansão, buscando sempre novos conhecimentos e aplicando eles no dia a dia, sempre com metas desafiadoras, pois para quem não tem metas, qualquer lugar está bom. É fácil reclamar que as coisas não funcionam sem fazer nada de diferente, dessa maneira elas continuarão a mesma coisa.

A empresa

A cultura da organização influencia no desempenho do presenteísmo, pois o melhor resultado de uma boa cultura organizacional acontece quando os funcionários se orgulham (vestem a camiseta) de trabalhar naquela organização. A área de Recursos humanos é essencial para criar esse vínculo cultural, claro que com o apoio da gestão. As pessoas precisam se sentir empreendedoras (profissional empresário) e a empresa tem que estimular esse tipo de atitude em seus profissionais para garantir.

Esse artigo é um exemplo de presenteísmo sistêmico, ou seja, já faz parte da cultura da pessoa ou da empresa e acontece enquanto não se faz nada diferente e como consequência um grande problema para as organizações minimizarem esses impactos. Também existe o presenteísmo ocasional, que reflete em situações momentâneas no dia a dia, mas deixaremos esse assunto para outro momento, até a próxima.

** Este artigo teve a participação especial do Sr. Gilmar Casagrande, sócio Diretor da empresa ExcellentMach

Fonte: Administradores

Deixe uma resposta