s impactos do coaching no comportamento das pessoas e das organizações

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

O mundo está em constante mudança e toda mudança impacta direta ou indiretamente no comportamento, não somente do indivíduo, mas na forma como as organizações gerem seus negócios. O mundo hoje está longe de ser o mundo que conhecíamos há duas décadas atrás, houve muitas mudanças na política, na tecnologia, na economia e na sociedade de um modo geral.

Essas mudanças vêm impactando na forma como as organizações lidam com seus colaboradores, exigindo uma liderança mais preparada para a gestão das pessoas. Esta é a razão pela qual as lideranças, são hoje, um diferencial competitivo, pois lideranças eficazes conseguem responder mais rapidamente às necessidades organizacionais, possuem maior flexibilidade e uma habilidade maior em lidar com situações de conflito, tão comuns em tempos de mudanças.

Muitas organizações veem o coaching, como uma ferramenta capaz de habilitar seu lideres a desenvolverem as competências necessárias para a boa gestão das pessoas e dos negócios. Krausz (2007), afirma que muitos líderes ou organizações buscam o coaching como uma alternativa customizada que foca em ação e resultado, havendo uma brevidade no processo de aprendizagem e desenvolvimento de novas competências.

É sobre este prisma, que analisamos os impactos do processo de coaching dentro das organizações, seja no desenvolvimento das competências individuais ou de equipes. Pois, no processo de coaching, trabalhando questões relacionadas ao desempenho individual ou coletivo, nas mudanças necessárias ou desafios específicos pelos quais o profissional ou a organização estejam passando ou que ainda irão passar, é estar focado em um resultado ou ação. O processo de coaching obedece a determinadas fases conforme segue:

Ø Fase de assessment ou levantamento preliminar: momento de avaliação da necessidade, pontos a serem trabalhados;

Ø Construção de relacionamento entre coach e coachee, para que este relacionamento seja eficaz no decorrer do processo se faz necessário que haja empatia entre as partes;

Ø Plano de ação: definição de um plano de comum acordo entre coach e coachee para desenvolvimento;

Ø Monitoramento: processo de avaliação do processo e acompanhamento;

Ø Avaliação dos resultados e fechamento: momento de avaliar o desenvolvimento de gaps, ganhos e todo o processo.

O processo de coaching é baseado na realidade do coachee, com metas bem definidas, trabalhando-se com objetividade. Estabelece-se uma fase inicial de investigação ou exploratória onde o foco é encontrar o ideal da pessoa/equipe/organização ou seja, aquilo que se pretende alcançar. A finalização do processo de coaching ocorre quando o coachee desenvolveu novas formas de comportamento ou estratégias que o façam alcançar os objetivos e metas anteriormente propostos.

Cabe ressaltar que nesta finalização, o coachee já deverá possuir autoconhecimento suficiente para contribuir positivamente na melhoria de sua vida pessoal e profissional. Não há como separar os ganhos individuais dos organizacionais, por se tratar não só de um processo de aprendizagem, mas de um processo claro de mudança em todos os níveis.

Quais os benefícios do coaching para as organizações?

Não se pode customizar os benefícios do coaching, pois conforme mencionado anteriormente, os ganhos são de ordem pessoal e profissional, mas podemos pontuar os benefícios que a médio e longo prazo irão agregar valor a organização, conforme segue:

Ø Melhoria da performance e produtividade, seja do indivíduo ou equipe;

Ø Processo de aprendizado é melhorado por tratar-se de um processo rápido;

Ø Melhoria dos relacionamentos, principalmente entre líder e liderado;

Ø A organização aprende a perguntar e a ouvir;

Ø Há uma melhor utilização das pessoas, dos recursos, das ideias, havendo maior flexibilidade e capacidade de respostas;

Ø Mudança de cultura;

Ø Transformação na vida das pessoas, dentro e fora da organização.

Conforme podemos perceber, os impactos do processo de coaching, dentro das organizações, geram mudanças extraordinárias não somente no comportamento do individuo ou equipe, mas na transformação da cultura organizacional, pois as organizações que desejam inserir este processo de aprendizagem, devem ter um ambiente adequado para sua implementação, com objetivos tangíveis. O coaching é antes de qualquer coisa uma aprendizagem baseada na troca de conhecimentos, busca de aprimoramento conjunto, troca de experiências e feedback constante, uma liderança atuante, processos participativos onde os indivíduos sintam que são importantes para a organização. É neste modelo de cultura e ambiente, onde o indivíduo é levado a questionar-se, responsabilizar-se pelas suas escolhas e ações, na qual sente que tem o suporte de seu líder.

A organização tem que ter, finalmente, como princípio, o aprendizado contínuo e uma valorização efetiva do ser humano. Somente assim, demonstrando seus valores e ética, é que poderá ser verificado se a organização está mesmo colocando em prática o desenvolvimento das competências individuais e coletivas.

Cada dia mais os departamentos de Recursos Humanos têm uma exigência de seus clientes para que apontem ferramentas ou recursos que solucionem com rapidez e a baixo custo as demandas por eles apresentadas. Porém, quando se fala do desenvolvimento da liderança e se pensa em coaching como prática, deve-se aprofundar ao máximo qual o objetivo e o que há por trás desta necessidade.

Simplesmente apontar o coaching como uma solução, sem ter em mente os impactos culturais, antes, durante e depois de uma implementação, pode fazer com que não haja sustentação do processo e com isto somente mais um modismo seja implementado, perdendo-se assim a confiança de seu cliente. Já é percebido e não é novidade, que muitos líderes desconfiam de novos processos por puro desconhecimento, mas se o profissional de Recursos Humanos também não conhecer e apresentar com profundidade o tema, não há como o cliente absorver esta novidade e compreender as vantagens associadas à alternativa sugerida. Por isso, entender o que é coaching, como surgiu, etapas do processo e principalmente ter em mente que é um processo, faz-se necessário para uma saudável e sustentável implementação.

Ter em mente que o coaching pode ser uma forma de alavancar a liderança de uma organização em busca de resultados excelentes, contribuindo para uma expansão do indivíduo, não somente no âmbito profissional, mas também como pessoa, faz com que organizações que acreditem no potencial efetivo de seus profissionais, consigam neste momento de grande concorrência, mudanças e globalização, ter um posicionamento ótimo para enfrentar crises, buscando novas alternativas de negócios, aprendendo também a desenvolver novas competências que os ajudem a se reposicionar, se necessário, ou ultrapassar barreiras empresariais que possam surgir.

Na próxima semana, estaremos postando uma entrevista com a Life Coach Marta Pais, consultora da I HAVE THE POWER e pratitioner de PNL com certificação Bandler. A entrevista teve como objetivo, demonstrar o quão benéficas são as práticas de coaching, para pessoas e organizações. Até lá então.

Cristiane Ornelas

Desenvolvendo pessoas, transformando organizações através de uma nova visão.

Fonte: Administradores

Deixe uma resposta